CONTROLADOR DE CARGA
DIGITAL
MODELO
Corrente máxima Sistema de voltagem
Unitário
BSTC 7
07 Ah
12/24V
R$ 106,12
BSTC 10
10 Ah
12/24V
R$ 127,34
BSTC 15
15 Ah
12/24V
R$ 177,80
BSTC 20
20 Ah
12/24V
R$ 220,80
BSTC 30
30 Ah
12/24/48V
R$ 305,60
BSTC 40
40 Ah
12/24/48V
R$ 584,00
ANALÓGICO
MODELO
Corrente máxima Sistema de voltagem
Unitário
RTA 07
07 Ah
12/24V
R$ 72,82
RTA 10
10 Ah
12/24V
R$ 88,17
RTA 15
15 Ah
12/24V
R$ 127,01
RTA 20
20 Ah
12/24V
R$ 162,23
RTA 30
30 Ah
12/24/48V
R$ 253,26
RTA 40
40 Ah
12/24/48V
R$ 544,00
 

CONHECENDO OS CONTROLADORES DE CARGA


Um controlador é um aparelho eletrônico que transforma a corrente contínua (CC) da bateria em corrente alternada (CA) equivalente à da casa. Permite usar eletrodomésticos e equipamentos industriais a partir de baterias. Pode ser de tecnologia clássica, de tecnologia HF ou mista; pode gerar onda quadrada, semi-senóidal ou senóidal.
Vamos ver o que significam essas características na prática :
Tecnologia clássica, onda quadrada
A onda quadrada é a forma a mais simples de corrente alternada. Era a única economicamente accessível antes da chegada do transistor e da tecnologia HF. Para inversores 115VCA-60Hz, a corrente passa sem transição de -115V a +115V e vice-versa 60 vezes por segundo (ver gráfico em baixo). É óbvio que o valor máximo da corrente (valor de pico) fica limitado a 115V.
Inconvenientes :
1. Peso. Inversores dessa tecnologia usam um transformador BF (baixa freqüência) muito pesado.
2. Não pode alimentar motores. O torque de partida de um motor monofásico depende do valor do pico da onda (162V na onda senóidal de 115VCA). O valor de pico da onda quadrada, limitado a 115V, não permite dar partida a motores.
3. Distorção harmônica (mede,em %, a diferença entre a forma de uma onda e a da senóide pura de mesmo valor). No caso da onda quadrada, a distorção harmônica é máxima. Isso é incompatível com inúmeras aplicações; gera ruídos, aquecimentos e funcionamentos defeituosos.
4. O rendimento é baixo : da ordem de 50%.
Com o desenvolvimento da tecnologia HF, na última década, os inversores "quadrados" estão desaparecendo do mercado. A MBT-Energia Autônoma não comercializa esse tipo de inversor.
Tecnologia HF, onda semi-senóidal
A onda semi-senóidal (também chamada senóide modificada ou quase senóide) tem uma forma intermediária entre a onda quadrada e a onda senóidal pura (ver gráfico em baixo). Todas as vantagens da tecnologia HF vêm da permanência do sinal no valor zero cada vez que o sinal muda de sentido. Isso permite reduzir drasticamente a distorção harmônica, aumentar o valor de pico até o da senóide pura, e aumentar consideravelmente o rendimento. Dessa forma, quase todos os inconvenientes da onda quadrada desaparecem.
Os inversores de tecnologia HF (de high frequency = alta freqüência) e de onda semi-senóidal são atualmente os mais populares por ser baratos, leves, de fácil manuseio, e atender a maioria das necessidades domésticas e profissionais de pequeno porte.
A nova linha XPOWERPLUS, a mais econômica da XANTREX, está essencialmente destinada ao mercado do lazer, para serviços leves e intermitentes, enquanto as linhas da MBT-Energia Autônoma, e da XANTREX (PROWATT), convém para serviços contínuos ou em ambientes mais agressivos (rodoviário, por ex.) ou de grande responsabilidade (equipamentos médicos, por ex.).
Para ajudar a sua escolha, a MBT-Energia Autônoma selecionou vários modelos da XANTREX para compor, junto com os modelos da própria MBT-Energia Autônoma, uma linha completa de inversores entre 150 e 3000W, com entrada 12 ou 24VCC e saída 115 ou 230VCA - 60Hz.
Tecnologia mista, onda semi-senóidal
A tecnologia mista consista em utilizar a tecnologia BF (com transformador pesado) na entrada do inversor e a tecnologia HF na saída para obter uma onda semi-senóidal. Isso permite mais flexibilidade, mais facilidade técnica e custos menores na hora de fabricar inversor-carregadores.
Tecnologia HF, onda senóidal
Senóide pura se diz de uma onda contínua de uma freqüência só, seja : de distorção harmônica nula (gráfico em baixo). É a forma da corrente distribuída pelas redes públicas. Todos os equipamentos elétricos previstos para ser alimentados por essas redes foram projetados de acordo com essa forma de onda. É com inversores de onda senóidal que aparelhos eletro-eletrônicos têm o seu desempenho máximo.
Inversores de onda senóidal são altamente sofisticados e, como conseqüência, são mais caros que os de onda semi-senóidal. São destinados mais especificamente à alimentação de aparelhos sensíveis que não funcionam, ou não funcionam corretamente, com onda semi-senóidal, tais como aparelhos de regulação de laboratório, equipamentos aeronáuticos, aparelhos de teste, certos aparelhos de som ou vídeo, entre outros.
Inversores de onda senóidal não geram ruídos ou distorções em aparelhos de som, vídeo, DVD e estéreo. É a solução ideal para os mais exigentes. Além disso, proporcionam partidas suaves a motores e evitam aquecimentos indesejáveis ou zumbidos desagradáveis. Também, não geram parasitas eletromagnéticos que poderiam interferir com outros equipamentos, em aeronaves, por exemplo.
Na tecnologia HF, os melhores inversores de onda senóidal são hoje, sem duvida, os PROSINE da XANTREX, com potência de 1000 a 2500W. A XANTREX está lançando agora um modelo menor, de 400W, o RS400.


macrosol@aol.com